Práticas de promoção da saúde no contexto da atenção primária no Brasil e no mundo
V.1 No.1 (2019)
PDF

Palavras-chave

Promoção da Saúde, Atenção Primária à Saúde, Prática, Prática de Saúde Pública.

Como Citar

Gamboa Lizano, V. (2019). Práticas de promoção da saúde no contexto da atenção primária no Brasil e no mundo. APS EM REVISTA, 1(1), 50-61. https://doi.org/10.14295/aps.v1i1.3

Resumo

Estudo de Revisão Integrativa, com abordagem qualitativa, para compreender os sentidos e significados da Promoção da Saúde (PS), analisar as práticas de PS e discutir a concretude entre as áreas de ação estabelecidas nas Conferências Internacionais de PS sobre as práticas de PS, tudo no contexto da Atenção Primária no Brasil e no mundo. O corpus do estudo foi de 18 artigos, publicados entre 2006 e 2017, em países da Ásia, Europa e América, com método de análise Hermenêutico-dialético. Compreendemos que a Promoção da Saúde implica uma prática ‘nova’ e ‘polissémica’ que gera tensões teóricas e filosóficas; esteve associada a hábitos saudáveis, empoderamento, participação social, autonomia e intersetorialidade. Existe um conflito recorrente diante do equívoco conceitual em relação à educação em saúde e à prevenção. No processo de trabalho da PS, destacaram como finalidades ‘melhorar a qualidade de vida das pessoas’ e ‘gerar empoderamento’; os instrumentos principais foram os modelos teóricos, as guias práticas e materiais educativos; as atividades estiveram relacionadas à educação em saúde, o uso de tecnologias, as assessorias/aconselhamentos em saúde; os agentes foram agentes coletivos, conformados por enfermeiras, médicos, visitadores sanitários, psicólogos e assistentes sociais principalmente. No confronto das áreas de ação da PS com a sua prática, sobre o desenvolvimento de políticas saudáveis foi reforçada a importância do apoio aos tomadores de decisões e da responsabilização conjunta do Estado-serviços de saúde-comunidade. A criação de ambientes favoráveis ficou invisível. O fortalecimento comunitário teve relação direta com os processos de empoderamento e participação social, ressaltando a intersetorialidade. O desenvolvimento de habilidades pessoais foi a área mais recorrente, focando em atividades de educação em saúde; na reorientação dos serviços de saúde foi visível a necessidade de mudança de paradigmas junto com a formação profissional em PS. Consideramos que a PS vem contribuir desde a sua abordagem inovadora, diferenciada e com um enfoque positivo aos serviços de saúde, especialmente à APS. O protagonismo do profissional com perfil em PS é significante no desenvolvimento de estratégias e ações correspondentes com as áreas de ação, assim como para dissipar conflitos/equívocos conceituais da Promoção da Saúde.
https://doi.org/10.14295/aps.v1i1.3
PDF

Como autor do artigo em anexo autorizo sua publicação, uma vez aprovado, na APS em Revista. Declaro ser de minha autoria o referido artigo e cedo, a titulo gratuito e em caráter definitivo, os direitos patrimoniais dele decorrentes. Assumo ainda inteira responsabilidade por seu conteúdo.

Autorizo a APS em Revista a publicar em meio eletrônico, na Internet ou a reproduzir por outros meios que venha a utiliza, bem como a edição, reedição, adaptação ou distribuição do referido artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.